CONTATO



relatosecontosgays.2013@hotmail.com

domingo, 22 de janeiro de 2012

Contos: Comendo o viadinho do terminal

 Para ter seus videos/fotos publicados no blog, envie para um dos email abaixo:
Fototeensnegroselatinos@hotmail.com
Amantesdebigpaus@hotmail.com
   

Este conto foi enviado por um leitor do blog:
Jápassava da 19h, numa quinta-feira. Estava vindo mais cedo da universidade,desci no terminal da beira- mar ( um dos terminais de ônibus coletivos de SãoLuís - MA) enquanto o meu buso não passava, resolvi ir ao banheiro dá umamijada. Quando entrei estava cheio, o banheiro estava num clima diferentedeveria tá rolando a maior pegação mas com a minha chegada parou.

Coloqueio pau pra fora e percebo que estão me observando os dois carinhas do meu lado,mas finjo que não estou percebendo. Contudo eles ficam me olhando de maneiranada discreta e troco olhares com eles, por não estar aprovando a atitudedeles, mas continuam vendo minha pica sem nenhuma censura. Aproveito a situaçãoe mostro mais um pouco meu pau, já estava curtindo ser admirado por outroshomens.

Umdeles pega o celular escreve um sms e me mostra: "quero chupar tua pica". Façosinal negativo balançando a cabeça. Gosto de receber uma boa mamada, masbanheiro não é lugar pra isso. Mas o cara continua insistindo com as sms,desisto de ficar me exibindo e ponho o pau pra dentro da cueca e saio dobanheiro. Pra minha surpresa o carinha do sms sai junto comigo e fala quegostou muito do que viu e se poderia me fazer uma chupeta. Ele tanto insistiuque resolvi dá uma chance pra ele, perguntei se ele conhecia algum lugarpróximo, ele responde que sim.

Saindodo terminal ele me conduz em direção de uma rua mal iluminada com algunsprédios abandonados, nessa hora já tava morrendo de tesão de vê aquele viadinhoandando na minha frente com aquela bunda bem contornada com uma calça jeansapertada e uma fardinha preta de uma loja de moveis planejado daqui da cidade.Ele era pardo, com cabelo cacheados, deveria ter 1,60 m, corpo normal com umbunda muito avantajada pro corpo dele e usava aparelho. Eu sou pardo também,com 1,75m, 102kg, gordinho, peludo, braços forte e com uma pica de 19 cm [jápostei uma foto minha aqui o site Edu gordinho].

Enquantoele me conduzia um prédio abandonado perguntei o nome dele, mas confesso quenão lembro. Me falou que tinha que ser rápido pq ele tinha um namorado que jádeveria está preocupado com ele, mas quando viu minha piroca não pensou duasvezes e meter um par de chifres no cara. Falava que fazia tempo que não tinhauma boa transa. Ao chegarmos percebo que o prédio está ocupado, mas ele insisteque entremos. Como me recusei ele entra pra conferi e dá de cara com um guardaque frusta o plano da mamada dele.

Eudigo pra ele pra gente ir embora e marcar outro dia, mas o cara não desiste ediz que conhece outro lugar. Eu como já tava envolvido com aquele clima resolvodá mais uma chance pra ele, mas disse que se não desse certo iria embora semdeixar ele me chupa. Ele sai andando rápido e o sigo. Chego num "bar" que ficaem frente ao antigo cine rox um extinto cinema adulto muito conhecido. Nãofazia idéia que existia aquele lugar que depois descubro que é um cinema adultotambém. Fui entrando, na primeira porta que abrir havia uma projeção de umafilme pornô e apesar de escuro deu pra perceber que havia alguns caras sentadosem cadeiras de plástico assistindo o filme, passei por essa sala havia um outroambiente a meia luz, deu pra vê alguns caras se pegando ao som de Lady Gaga.

Aquelelugar era estranho pra mim acostumado a foder nos melhores motéis de São Luís,lá estava eu num muquivo. Mas nessa hora não tava nem aí já tava pensando emcomo fuder aquele viadinho, subimos uma escadaria chegando no outro andar haviapequenos salas separadas por compensados. Entramos em uma tinha um cara ládentro, perguntei  se ele tava esperandoalguém ele disse que não e me perguntou se eu podia dividir minha presa comele, eu prontamente respondi que não e mandei ele embora de lá.
 Já tava me acostumando com o ambiente emostrando ser o macho marcando meu território. Fechei a porta e mandei  o viadinho ajoelhar, e disse pra elecaprichar na mamada se não ele ia apanhar mesmo por ter me feito  perder se não fosse boa. Ele não se fez derogado e ficou cheirando minha rola, depois colocou na boca e começou a chupara cabeça do meu pau. Eu tava achando muito bom, realmente valeu a pena o carasabia como mamar a cabeça do   pau de ummacho. 

Mandeiele engoli minha piroca inteira, ele tentou algumas vezes mas não conseguiu, engasgava.Dei umas pirocadas na cara dele, depois um tampa e mandei ele abrir a boca eenviei de uma vez sentir a garganta dele na minha pica, ele quase vomita, atésaiu lagrima dos olhos dele. Mas foi só se recuperar já tava abocanhando minhajeba de novo. Comecei a fuder a boca dele, fiquei uns 15 minutos  aí ele pediu leitinho e mandei ver porra naboca dele, que engoliu tudo. Ele perguntou se eu tinha gostado, se tinha validoa pena. Eu disse que sim, mas que ia terminar o trabalho comendo o rabão dele.Pensei num carinha que ficou alegre...

Pergunteise ele tinha preservativo abriu a bolsa dele e me deu dois, encapei minha picae coloquei ele com as mãos na parede de compensado e fiz ele empinar o rabãopra mim. Deu vontade de chupar aquele buraquinho, mas como não conheciaele  e apesar dele ter dito que fezchuça, preferi não meter língua naquele cu. Mas dei umas mordidas na bunda deleque por sinal era muito macia. Segurei ele pela ancas e passava minha barba porfazer na nunca dele, o cara delirava. Dizia que tava doido pra dá pra mim,desde que me viu e que tava adorando levar pica de um macho de verdade.

Semmuita conversa comecei a meter rola nele, bem devagar no começo. Sentir aspregas dele cedendo ele reclamou de dor, mas pedia mais. Coloquei lento até ametade do meu pau está toda atolada no cu dele. Depois tirei e meti tudo de umavez, ele quase pira. Comecei a bombar gostoso naquele rabo carnudo até sentiminha bolar doerem de tanto bater.

Semtirar meu pau do cu dele, eu sento numa cadeira de plástico que tava lá. Etrago ele acompanhado e mando ele cavalgar. O viadinho vai a loucura num sobe edesce e eu conduzido segurando pela cintura. Ele começa a dizer que ia dásempre pra mim, que tava adorando a minha rola, que eu era o macho que elequeria. Ficamos mais uns vinte minutos nesse sobe e desce. Anuncio que vougozar, mas ele não sai de cima da minha rola. Acabo gozando na camisinha mesmoe ele goza ao mesmo tempo no chão. Quando ele levanta sinto o cheiro de bosta,ele tinha se cagado todo no meu pau. Isso me deixa puto, dou um tapa na caradele, mando ele tirar a camisinha do meu pau, e se ele me sujasse ia apanharmais. Se o cara quer dá o cu, deve ao menos manter limpo. Ele consegue tirarsem me sujar, até pq essa cagada já tinha feito meu pau amolecer.

Eletava radiante e disse que ia ao banheiro se limpar e que na volta queria meunúmero pra me ligar e marcar outra foda. Enquanto ele vai ao banheiro eu mevisto e saio andando. Nunca mais o vi. Quem sabe não o vejo outra vez nobanheiro do terminal

Nenhum comentário:

Postar um comentário